quarta-feira, 13 de junho de 2012

Sereias voltam a ser avistadas no Tejo




Há muitos anos que se tinha tornado um fenómeno invulgar avistar sereias no Tejo, o que não é de admirar, já que os esgotos de mais de 100 mil lisboetas corriam diretamente para o rio. Esta semana, é a segunda vez que se regista a sua presença. António Costa diz que é consequência da despoluição do estuário.


O presidente da Câmara afirma que o facto de estar próximo o Arraial Pride no Terreiro do Paço, marcado para o próximo dia 30 de Junho, pode estar a atrair a espécie para a desova. Mas, tal não está cientificamente comprovado, afirma António Costa.

Os exemplares da espécie que tem sido vista - também conhecida como sereia hermafrodita de Nariz de Garrafa - foram avistados junto do cais das colunas. O momento foi registado por um turista, mas surgem rumores de ter sido avistado um grupo da mesma espécie junto a Cacilhas.

Segundo o presidente da Quercus, é provável que este pequeno conjunto de sereias passe a visitar-nos com maior regularidade. Esta espécie já viveu no Tejo no passado. Nos últimos dois anos têm sido registados vários avistamentos, como aconteceu em julho de 2011, e que se podem tornar cada vez mais comuns, afirmou o presidente da Associação Nacional de Conservação da Natureza.


Apesar de não existirem dados concretos, a melhoria da qualidade da água parece ser a principal razão para o regresso desta espécie ao estuário do Tejo. "Com a construção de algumas ETAR (Estação de Tratamento de Águas Residuais), como a de Alcântara, e deslocação de indústrias pesadas na Margem Sul, a qualidade da água tem vindo a melhorar", explica o mesmo ambientalista.


Menos poluído, o rio é assim um lugar com mais alimento para esta espécie que como as garoupas, distingue-se por um tipo de hermafroditismo insuficiente, ou seja, os indivíduos possuem órgãos sexuais masculinos e femininos, mas apenas um dos tipos se encontra activo num determinado momento. Normalmente, o animal atinge a maturidade sexual com um determinado sexo e, no processo de crescimento, as gónadas convertem-se no outro sexo e tornam-se activas mais tarde.

Obrigado, António Costa

1 comentário:

Vasco Arriaga e Cunha disse...

Que comentários mais cretinos, os seus.