segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Salvemos os Lisbon Players!






















































.
Imagens de Jonathan Weightman
.
T H E L I S B O N P L A Y E R S

Media Release

Grupo de Teatro em batalha legal contra o Governo Britânico

Numa acção que constitui uma séria ameaça à sobrevivência de uma das companhias de teatro mais antigas de Lisboa, o Governo Britânico pretende vender para investimento imobiliário o terreno onde se situa o teatro que é hoje o lar dos Lisbon Players, o Estrela Hall.

Os Lisbon Players opõem-se veementemente a este plano e iniciaram um processo em tribunal contestando a propriedade do edifício pelo Governo Britânico. O caso baseia-se no direito de usucapião: os Lisbon Players têm ocupado o edifício de forma livre, pacífica e incontestada desde 1947. O edifício do teatro funciona segundo um princípio: “promover a língua e a cultura da Grã-Bretanha”, princípio o qual os Lisbon Players declaram ter cumprido inteiramente.

A gestão dos Lisbon Players organizou também uma petição on-line onde os membros do público podem expressar o seu apoio: http://www.gopetition.com/petitions/save-the-lisbon-players.html


Os Lisbon Players, que celebram já o seu 62º ano, são auto-suficientes financeiramente e operam sem subsídios ou qualquer outra ajuda financeira externa. São encenadas três ou quarto produções por ano além de leituras de poesia, concertos e workshops. Embora as actuações sejam em Inglês, os Lisbon Players são verdadeiramente internacionais; as representações mais recentes envolveram intervenientes de origem britânica, brasileira, portuguesa, sérvia e irlandesa. No ano passado deu-se um workshop para formar novos encenadores teatrais que resultou em seis peças curtas: dos seus encenadores dois eram britânicos dois portugueses e um francês.

Os planos para um futuro próximo incluem a peça Endgame de Samuel Beckett, Hamlet de Shakespeare e Shakers and Bouncers de John Godber.

O Estrela Hall é em si considerado um dos teatros mais acolhedores de Lisboa. Foi o primeiro teatro em Portugal a encenar o controverso Waiting for Godot de Beckett em 1961 (que provocou uma visita da PIDE). Nos anos 60 o teatro partilhou a sua casa com o Teatro Nacional Português quando o Teatro D. Maria II sofreu um grave incêndio. Um dos encenadores regulares do teatro era Alain Oulman, autor e amigo da fadista Amália Rodrigues.

Os Lisbon Players acreditam que têm tido uma contribuição importante para a vida cultural da nossa capital. A acção do Reino Unido exercerá uma severa pressão sobre os Lisbon Players e a sua gestão pretende fazer tudo o que estiver ao seu alcance para assegurar a continuação da existência da companhia e do seu importante lar histórico.

Para mais informação contactar Jonathan Weightman: telefone 96 4475745:
e-mail: jonweigh@netcabo.pt
Notas para editores


Estrela Hall

O Estrela Hall fica na esquina da Rua da Estrela e da Rua Saraiva Carvalho em Campo de Ourique/Estrela, na proximidade do Jardim da Estrela e da última residência do poeta Fernando Pessoa. Juntamente com o Cemitério Britânico, a Igreja Anglicana de S. Jorge, o Hospital Britânico, o presbitério, o cemitério judaico e o Clube Real Britânico (British Royal Club) faz parte de um quarteirão originalmente cedido pela Rainha Maria I à comunidade estrangeira, especificamente às comunidades Protestante e Judia, para ser usado como cemitério durante a construção da Basílica da estrela nos finais do século XVIII.

O Estrela Hall faz parte do antigo Fundo da Escola Protestante (British Protestant School Fund) cujos membros incluem representantes da Igreja de S. Jorge e da Embaixada Britânica. Foi construído em 1904 pelo Fundo da Escola Protestante (agora extinto) para uso como centro comunitário. Teve várias facetas ao longo dos tempos que não foram bem sucedidas (incluindo a de ringue de patinagem) antes de o Governo Britânico assumir o controlo em 1940 para exibir filmes de propaganda dos Aliados durante a Segunda Guerra Mundial. Há ainda um ou dois residentes idosos que se recordam de aí ver esses filmes.

Os Lisbon Players mudaram-se para o Estrela Hall em 1947 e desde então o edifício sofreu várias modificações. Tem agora um largo palco e um auditório com 120 lugares em dois níveis, uma cabine de luz e som e um amplo vestíbulo. Todos os encargos das modificações e obras de conservação do edifício como espaço teatral foram suportados pelos Lisbon Players. Em 2003 o telhado do edifício foi completamente reconstruído com o dinheiro conseguido na bilheteira e em espectáculos de beneficência. Existem agora planos para uma renovação do teatro em três fases mas estão de momento suspensos aguardando uma decisão sobre o futuro do edifício.


Os Lisbon Players

O Estrela Hall tem sido o lar dos Lisbon Players desde 1947 mas a origem da companhia é muito anterior. A tradição lisboeta de pôr em cena peças em Inglês data de pelo menos 1880 e é possivelmente até anterior a esta data. Em 1945 houve uma produção embrionária dos Lisbon Players de The Importance of Being Earnest de Oscar Wilde no Teatro Nacional Dona Maria II no Rossio. Houve também várias produções encenadas fora do teatro: em 1949 esteve em palco A Winter’s Tale na Escola St Julian, e Waiting for Godot viajou até ao Teatro Garcia Resende, em Évora, em 1993. Em 1996 A Midsummer Night’s Dream foi encenada no Parque de Palmela, em Cascais, e em 1995 Ophelinha tornou-se o primeiro espectáculo a ter lugar no Pequeno Auditório do recém-inaugurado Centro Cultural de Belém.

Os Lisbon Players dão grande ênfase à formação de todas as competências teatrais e à criação de novos públicos. A maioria da sua assistência sempre se compôs de estudantes, escolas e jovens. Recentemente, o grupo trabalhou também em parceria com os alunos de Arte Dramática da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Cronologia

1904 Construção do Estrela Hall pelo Fundo da Escola Protestante (British Protestant School Fund).
1939 Encenação de A Winter’s Tale, de Shakespeare no Estrela Hall.
1940–1945 Uso do Estrela Hall como cinema pelo Governo Britânico.
1945 Os Lisbon Players apresentam The Importance of Being Earnest no Teatro Dona Maria II
1947 Fevereiro: Os Lisbon Players estabelecem-se oficialmente no Estrela Hall.
1963 O teatro é remodelado de acordo com os planos desenhados pelo arquitecto Manuel Igrejas. Os assentos do teatro são adquiridos ao Cinema S. Jorge.
1965 A Companhia Rey Colaço Robles Monteiro muda-se temporariamente para o Estrela Hall depois de um incêndio no Teatro Dona Maria II
1987 O livro Lisbon Players: Forty Years é publicado. Ed. British Historical Society
1994 Os Lisbon Players constituem-se como Associação Sem Fins Lucrativos.
2003 O telhado do Estrela Hall é reconstruído como resultado de actividades de angariação de fundos.
2008. Agosto: Os Lisbon Players iniciam um processo legal contra a reivindicação do Governo Inglês da posse do edifício.
2008. Dezembro: a propriedade que inclui o teatro é posta à venda pelos agentes CB Richard Ellis
Agosto 2009. O Hospital Inglês, Campo de Ourique, fechou as portas.

3 comentários:

Kat disse...

Apoio os Lisbon Players a 100%. Espero que o governo britanico se aperceba do que realmente esta a pensar fazer.
O teatro é um dos melhores, e promove imenso a lingua inglesa.
Força Lisbon Players !

Miguel disse...

Como membro e amigo do Grupo de teatro The Lisbon Players so posso referir o quao valiosa e' esta instituicao! Incontaveis sao as noites de diversao e aprendizagem que disfrutei no Estrela Hall.
Havemos de conseguir que o nosso legitimo finca-pe de os frutos que tanto merecemos!

Abraco

Miguel Figueiredo

Peco desculpa pela omissao de acentos e cedilhas. Estou a usar um teclado ingles.

Julio Amorim disse...

Os meus sinceros votos para que esta luta tenha sucesso....