sábado, 28 de março de 2009

Os Cossacos do Tejo.


.
O Regimento de Cavalaria - 3º Esquadrão, da Guarda Nacional Republicana.
.

.
O 3º Esquadrão, do Regimento de Cavalaria, da Guarda Nacional Republicana, é uma Subunidade a Cavalo, sedeada na zona Oriental da cidade de Lisboa, aquartelada em Braço de Prata, na outrora estratégica, Rua do Vale Formoso de Baixo. Saída de Lisboa para Sacavém e para o Norte do País, próximo do, não menos estratégico, entroncamento de ramais de caminhos-de-ferro, junto à estação com esse nome.
Este quartel foi construído de raiz, em 1919, para o fim a que se destinou: albergar uma Subunidade do Regimento de Cavalaria da Guarda. Quando o Regimento de Cavalaria foi oficialmente constituído, em 1922, os edifícios que integram o quartel, já estavam construídos. Trata-se efectivamente de um pequeno quartel, integrado num conjunto de grande beleza arquitectónica.
Curiosamente, o topónimo que está na génese de denominação do quartel, bem como da estação de caminhos-de-ferro, é suportado pelo facto de, até finais do Séc. XIX, ali ter existido a Quinta do Braço de Prata. A propriedade, segundo relata a estória, pertenceu ao pai de António de Sousa Menezes, que por ter perdido um braço guerra, usava uma prótese em prata, que acaba por estabelecer o nome da Quinta de Braço de Prata
. (in http://www.gnr.pt/ )
.

.
Os cavaleiros do 3º Esquadrão, carinhosamente apelidados de “Cossacos do Tejo”, pelos exercícios de sujeição que conseguem realizar com as suas montadas, para além de empenho e dedicação ao serviço diário, também participam em eventos equestres, onde têm oportunidade de evidenciar a qualidade e o ensino das suas montadas e assim manifestar publicamente o seu tacto equestre. Todos os solípedes deste Esquadrão têm pelagem ruça, com a particularidade de todos os cavalos terem nome começado pela letra “C”.
.


.

.
Só aqui, estão mais de cem cavalos (na Calçada da Ajuda, há muito mais do que cem). Integram a charanga da GNR e participam nas cerimónias do render da guarda frente ao Palácio de Belém.
.


















.
O Quartel tem um picadeiro e uma escola de equitação aberta ao público.
.
.

.
Entrar num edifício e ver dezenas de cavalos alinhados é uma sensação estranha...
.
.




.
Obrigado a este cossaco do Tejo, que nos mostrou os cavalos. Havemos de regressar.

2 comentários:

Loureiro Pinto disse...

Parabéns Filipe.
É uma optima ideia mostrar o que ainda há de bom nesta Organização.
Saudades dessa Casa.
Um abraço
L.Pinto

anamar disse...

Passei muitos dias da minha meninice nesse quartel, por isso tenho um carinho muito especial por ele e sinto-o um pouquinho como meu. Obrigada por partilharem estas imagens e assim puder matar saudades