quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Recuperação da Igreja de São José dos Carpinteiros.




.

A Igreja de S. José dos Carpinteiros, situada na Rua de S. José, 64 a 100, Freguesia de S. José, em Lisboa, Imóvel classificado bem como os edifícios anexos, de Interesse Público pelo Decreto 95/78, DR 210, de 12-09-1978 , ZEP, DR (I série-B), n.º 228, de 01-10-1996, portaria n.º 529)96, necessita uma intervenção de fundo que deverá começar pelo telhado, a fim de impedir a degradação, hoje já bem visível do riquíssimo interior da Igreja evitando que se torne irreversível com perda de obras de arte de valor incalculável.

Pretende-se recuperar este templo, agora ameaçado pelas agressões do correr dos anos e pela incúria dos homens, restituindo as cores originais às paredes e talhas, e eliminando de vez a imagem deprimente da presença de baldes para recolher a água da chuva que entrando na Igreja, a vai destruindo.

Para tal, é necessária a colaboração de todos, entidades particulares e oficiais com responsabilidade nesta matéria, mecenas e público em geral. Assim, apelamos à intervenção activa do Patriarcado de Lisboa, entidade que tutela o edifício, Igespar, por se tratar de um Imóvel classificado de Interesse Público e público em geral , nomeadamente os moradores da zona, no sentido de se constituir um Grupo de Amigos da Igreja de S. José dos Carpinteiros que se interesse pela recuperação do templo.

Um pouco de história:

Em 1545, a Irmandade de São José dos Carpinteiros construiu um templo dedicado ao seu padroeiro no local onde hoje existe. Em meados do século XVII , a irmandade decidiu fazer obras de ampliação no templo quinhentista, conforme atesta uma inscrição na nave da igreja.

O terramoto de 1755 destruiui a fachada da igreja, pelo que a irmandade contratou o mestre lisboeta Caetano Tomás para edificar um novo frontespício, que ficou terminado cerca de dois anos depois. O templo manteve a estrutura seiscentista, de planta rectangular, composta pelos volumes da nave e da capela-mor.

A fachada é precedida por escadaria dupla, que forma um pequeno átrio; do lado esquerdo adossa-se a torre sineira. Ao centro do frontispício rasga-se o portal, encimado por medalhão com a imagem do Patriarca São José em alto relevo, ladeado por dois escudos, onde se inscreveram as principais efemérides relacionadas com o templo, dos quais pendem os símbolos dos carpinteiros, à direita, e dos pedreiros, à esquerda.

No interior, a nave é coberta por abóbada, onde foi pintada a imagemde S. José e o Anjo. As paredes são decoradas até meia altura por silhar de azulejos setecentistas, dividido em painéis figurando cenas da vida de São José.

Junto ao arco triunfal foram abertas duas capelas laterais, com retábulos de talha policroma, dedicadas a Nossa Senhora da Fé, do lado do Evangelho, e ao Senhor dos Passos, do lado da Epístola.

A capela-mor é também coberta por abóbada pintada com a imagem da Sagrada Família. Apresenta ao centro o retábulo de mármore, executado no século XIX, que alberga trono policromo.

Do programa decorativo destaca-se ainda um presépio em terracota da segunda metade do século XVIII, atribuído à escola de Machado de Castro.

Pinto Soares

(in «Cidadania Lx»). APOIAMOS INTEIRAMENTE!

2 comentários:

DomGaston disse...

Se um humilde fotógrafo puder ajudar...contem com a minha ajuda...

greentea disse...

vou divulgar, pelo interesse que tem