sábado, 27 de dezembro de 2008

Património Mundial da Desumanidade.


.
Esta manhã não foi fácil apanhar o autocarro na paragem do Terreiro do Paço. Sobrelotado. De coisas.
.

.
Assim se vive nas arcadas do Terreiro do Paço. Isto é Lisboa, mesmo no início de um novo ano.
.

.
Repare bem na sucessão de camas improvisadas, na quantidade de teres e haveres.
.

.
Hoje não vamos falar da «questão social». O problema que nos traz é outro: no centro dos centros da capital, na praça que se diz a mais nobre da cidade de Lisboa, o espaço público foi ocupado desta forma. Não entremos na discussão sobre os sem-abrigo, a exclusão social, o que for. Agora, o que importa dizer é o óbvio: o espaço público não pode ser ocupado desta forma. Isto é uma desgraça de todos. De todos. De quem passa e de quem ali vive.

2 comentários:

Filipe Melo Sousa disse...

aos domingos a camara até corta o transito, provocando o caos um pouco por toda a baixa, para os mitras poderem ter a praça para eles

Jose Martins disse...

Pois é, é!
A vingança dos "mitras" que aproveitaram a "globalização" para invadirem a "Terreiro" do Império. Já havia em Portugal tantos e mais que muitos "mitras" e agora ter que aguentar os (de sabe-se lá) de quantos continentes!